BEM-VINDO!

É UM GRANDE PRAZER RECEBÊ-LO!
COOPERANDO IREMOS MAIS LONGE, MAIS RÁPIDO E EM MELHORES CONDIÇÕES.
FIQUE À VONTADE. :)

segunda-feira, 1 de abril de 2013

DO SER DE NÓS O NOSSO SER-DE-AMOR


Olá!

Meu amigo filósofo, +manoel ferreira , me presenteou com mais um belo poema, que tenho o prazer e alegria de compartilhar com vocês. 
Abraçoo meu querido!


Com carinho, 
                        Lúcia Barros









DO SER DE NÓS O NOSSO SER-DE-AMOR
 

Manoel Ferreira

Ser de você, ser de mim,
Ser de nós o nós de ser
amor que se faz na comunhão
de sentimentos de entrega, carinho,
ternura, afeto, afeição,

ser de mim o acariciar-lhe a face
suave, singela, de leve
re-colher-lhe os sentimentos a perpassarem-lhe
o íntimo, a alma, o coração que pulsa sem limites,
a-colher-lhe os desejos e vontades
de ser de você o sentir o além de nosso
espírito que, de feliz e contente,
abraça-me de êxtase a volúpia da esperança
de a vida ser de nós a felicidade, a alegria,
de o ser horizonte de nós o verso-re-verso
de nossas fantasias sendo as flores
a desabrocharem com os primeiros
raios de luz a cobrirem de beleza e resplendor
o jardim de nossas mais profundas vontades
de sermos um no ser de você e ser de mim,
de serem nós as mãos que se entrelaçam para um
passeio pelo campo no crepúsculo,
trocando de palavras as carícias,
re-fazendo de carícias palavras
na comunhão do ser de você, ser de mim,
no uno verso da pureza de sentimentos,
no verso uno da magia de emoções
que se fazem na continuidade de toques,
que se re-fazem nas ilusões do tempo
sem fim, entrelaçando nossas vidas na estesia
do silvestre de horizontes a cobrir o arco-íris
de magias, mistérios, enigmas,
e nossos lábios se unindo suavemente
num ósculo de felicidade e prazer,
numa promessa de o nós de nossos seres
transcenderem a finitude da vida,
sendo a in-finitude da eternidade
para a posteridade à soleira de nossas
esperanças de permanecermos no sempre
do ser de você, do ser de mim
a luz de uma estrela a brilhar intensamente
por todas as flores, campos e rios,
os raios luminosos do sol a resplandecerem
na vida de nós o ser de amor, o ser de ternura
os pingos de chuva a deslizarem no vidro da janela
de nossos sonhos que se tornaram realidade,
que se tornaram espírito e alma
na Verdade que construímos e estabelecemos
com o que nos perpassava na profundidade
de nossa vocação de amar o amor,
de o nosso amor ser o verbo de amar.

Ser de você, ser de mim
o você de seu amor, o mim de meu amor,
entrelaçando em nós o presente de nosso futuro,
o futuro de nosso para-sempre amando o amor,
sentindo o amar de nosso ser-amor
que caminha eternamente pelas sendas
do silvestre desejo de sermos um na continuidade
dos séculos, milênios, na continuidade
do ser de nós o nosso SER-DE-AMOR.